signos-aries

Tinha que acabar com aquilo. E era naquele dia. Na mesma livraria onde se conheceram, marcou o café.  Não importa o quão linda ela chegasse, iria direto ao ponto. E aí ela chegou. E ele foi:

-Não dá mais.

-Oi?

-A gente. Isso tudo. Acabou.

-Acabou?

-Tem que acabar. Não consigo continuar.

-Mas ontem…

-…foi ontem. Hoje é diferente!

-Mas tudo mudou em 12 horas?

-O que é que tem?

-Me parece rápido demais pra tudo acabar…

-Doze horas é muita coisa.

-Muita coisa?

-Se eu fosse um mosquito, seria uma vida!

(silêncio)

-Acontece o seguinte…

-Ufa!

-“Ufa” o que?

-Achei que não ia dizer o motivo.

-Você vai achar estranho…

-Do jeito que a vida anda…

-Mesmo assim.

-Não ando estranhando muita coisa…

-Vai achar estranho, eu sei…

-Poucas coisas me surpreendem.

-Tem sorte! A Maioria me choca sempre.

-Tenta.

(silêncio)

-Não ia dizer o que aconteceu?

-Estou tentando…

-Esperava outra coisa

-Esperava o que?

-Essa é a livraria que nos conhecemos.

-Sei disso.

-Esperava o amor…

-O amor?

-Algo do tipo.

-Temos 5 anos morando juntos.

-O que isso muda?

-Você já tem todo o amor.

-Não posso ter mais?

-Não é isso…

-É o que então?

-Esquece!

-Quando marcamos com nossa namorada no lugar onde tudo começou, pode ter certeza que ela espera “alguma coisa”.

-“Alguma coisa” eu posso te garantir.

-“Alguma coisa” boa!

-Boa?

-Romântica.

-Tipo?

-Tipo flores, surpresas ou uma declaração de amor!

(silêncio)

-Falando em declaração, você fez seu imposto de renda?

-Entreguei ontem.

(silêncio)

-Se você não vai falar nada, eu vou embora.

-Calma.

-Tenho roupa pra lavar.

-Isso é mais importante.

-Mas eu ainda não sei o que é “isso”.

-Sim, mas…

-E eu tenho a casa pra arrumar

-Você tem câncer!!!!!

(silêncio)

-O que você disse?

-Você tem câncer na quarta casa. Por isso você se preocupa tanto com o lar.

-Você quer me matar?

-De jeito nenhum!

-Quer sim! Me deu um câncer!

-Não dei um câncer. Você já tinha.

-Vamos mudar de assunto? Essa astrologia toda me encheu!

-Mas o assunto é esse

-Astrologia?

-Sim.

(silêncio)

-Estou esperando.

-Meus documentos chegaram!

-Da Itália?

-Sim.

-Finalmente!

-Pois é. Agora vou ter que refazer todos os outros…

-Mas terá a cidadania européia.

-Terei.

-Você queria tanto isso…

-Pois é…

-Parabéns?

-É… em partes

-Feliz por você?

-Em partes, em partes…

(silêncio)

-Podemos caminhar?

-Preferia continuar sentado.

-Eu quis dizer, na conversa…

-Oi?

-Caminhar na conversa. Andar. Mover pra frente…

-Ahhh

(silêncio)

-Seguinte…

-Agora vai

-Os documentos chegaram e eu descobri uma coisa terrível.

-Que coisa terrível?

-Que mudou muito minha vida.

-De ontem pra hoje?

-Pra você ver!

-Que coisa foi essa?

-A coisa foi que a vida toda eu achei que tinha nascido no dia 12 de março.

-Sim…

-E isso foi o norte da minha vida toda.

-O norte?

-Eu era pisciano.

-Você ainda é.

-Não sou! Os documentos chegaram e vi que teve uma enorme confusão.

-Qual?

-Eu nasci, na verdade, no dia 12 de abril.

-E daí?

-Daí que eu sou de áries!

-Isso muda o que?

-Muda tudo!

-Mas…

-Antes eu era de peixes, então era calmo, sensível, artístico…

-Sim.

-Me preocupando com o mundo e precisando de tempo pras coisas…

-Eu sei, mas…

-Adorava ler, ouvir… Gostava do silêncio e era um homem de fé!

-E daí?

-E daí que agora eu sou impaciente, ansioso, irritado. Não tenho saco de esperar nada e muito menos paciência com as pessoas…

-Mas como voc…

-…interrompo as conversas, quero fazer mil coisas ao mesmo tempo e acho tudo isso que a gente fez junto, uma grande bobagem!

(Grande Silêncio)

-Tô sem palavras.

-Agora sou assim. Deixo todo mundo sem fala.

-Desde ontem?

-Desde ontem!

(silêncio)

-Preciso ir. Tenho aula de boxe, depois vou almoçar com uns amigos e vou pra um jogo de futebol.

-Aula de boxe?

-Não sei se vou pra casa, porque conheci uma garota hoje cedo e convidei pra uma balada no centro.

-Balada?

-Já chamei um carreto pra buscar minhas coisas lá na sua casa.

-Um carreto?

-Vou levar só o básico, o resto vou me arrumando.

-Um carreto não cabe nem seus livros…

-Não sou muito chegado em literatura mais…

-Não é?

-Gosto mais de esporte. Preciso ir!

-Mas já?

-Tenho pressa!

-Pro boxe?

-Tchau…

Aliviadíssimo e pensando no mundo de possibilidades que se abriram com essa mudança, decidiu ir a sua primeira aula de boxe a pé para já chegar aquecido. Mal olhou pra trás para evitar saber se sua namorada estaria rindo, chorando ou simplesmente paralisada. Afinal, ela tinha câncer. Na quarta casa. Isso a deixava muito sentimental e, decididamente, um ariano não teria paciência pra isso.

Anúncios